Bem-vindo ao mês europeu da cibersegurança 2023!

Quanto é que conta com a Internet todos os dias? Talvez faça muitas compras com ela. Talvez não vá ao banco porque pode tratar da maior parte das suas finanças online. E talvez até faça uma visita ao seu médico utilizando-a, em vez de se deslocar ao seu consultório. A forma como utilizamos a Internet mudou. Dependemos dela para uma série de coisas importantes. Isso faz com que o mês europeu da cibersegurança se torne mais fundamental do que nunca. Todos os anos, em outubro, participamos do mês europeu da cibersegurança. Em parceria com a agência de segurança cibernética e infraestrutura dos EUA (CISA) e uma série de organizações do sector privado, lançámos luz sobre um tópico essencial: uma Internet mais segura.

O tempo em que a Internet era uma novidade já passou. A Internet não é apenas agradável. É essencial. Ao ponto de ser um serviço de utilidade pública, como a eletricidade ou a água. Por isso, uma Internet segura é uma obrigação. É verdade que, no meio de notícias sobre fugas de dados e grandes piratarias, pode parecer que a noção de uma Internet mais segura esteja fora do seu alcance. Afinal, o que é que pode fazer para tornar seu mundo online mais seguro? Muito. Uma maior sensibilização e algumas acções simples podem tornar o seu tempo online muito mais seguro do que antes. E esse é um tema comum aqui no nosso blogue.

Mesmo com o aparecimento diário de novas ameaças, vive numa época em que dispõe de algumas das ferramentas mais abrangentes e fáceis de utilizar para as combater – e para se manter seguro. Por isso, o mês europeu da cibersegurança vem com uma lista de verificação rápida de cinco passos que pode seguir. Reserve algum tempo este mês para realizar cada um dos itens. Estará muito mais seguro contra piratas informáticos, ataques e roubo de identidade na sequência de fugas de dados. Vamos mergulhar neste assunto.

1. Utilize palavras-passe fortes e um gestor de palavras-passe.

As palavras-passe fortes e únicas constituem outra linha de defesa principal. No entanto, com todas as contas que temos por aí, fazer malabarismos com dezenas de palavras-passe fortes e únicas pode parecer uma tarefa árdua. Daí a tentação de utilizar (e reutilizar) palavras-passe mais simples. Os hackers adoram isto porque uma palavra-passe pode ser a chave para várias contas. Em vez disso, experimente um gestor de palavras-passe que possa criar essas palavras-passe por si e também armazená-las em segurança. Um software de segurança completo como o nosso inclui um gestor de palavras-passe.

2. Defina aplicações e sistema operativo para atualização automática.

As atualizações oferecem todo o tipo de coisas fantásticas para as aplicações de jogos, streaming e conversação, como adicionar mais características e funcionalidades ao longo do tempo. Também tornam  essas aplicações mais seguras. Os hackers vão martelar as aplicações para encontrar ou criar vulnerabilidades, que podem roubar informações pessoais ou comprometer o próprio dispositivo. As atualizações incluem frequentemente melhorias de segurança, para além de melhorias de desempenho. Para os seus computadores e portáteis:

Para os seus smartphones:

Para as aplicações do seu smartphone:

3. Saiba como pode detetar um ataque de phishing.

Quer venha através de um a mesnagem de correio electrónico, SMS, mensagem direta ou como anúncios falsos nas redes sociais e no modo de pesquisa, os ataques de phishing continuam a ser populares entre os cibercriminosos. Nas suas várias formas, a intenção é sempre a mesma: roubar informações pessoais ou de contas fazendo-se passar por uma empresa, organização ou mesmo alguém conhecido da vítima.

Dependendo das informações roubadas, pode ter como resultado uma conta bancária esvaziada, um perfil de rede social sequestrado ou uma série de crimes de identidade diferentes . O que torna alguns ataques de phishing tão eficazes é a forma como alguns hackers conseguem fazer com que os e-mails e sites de phishing que utilizam se pareçam com os verdadeiros, pelo que aprender a detetar ataques de phishing se tornou uma competência valiosa hoje em dia. Além disso, um software de proteção online abrangente inclui uma proteção Web que pode detetar ligações e sites falsos e avisá-lo, mesmo que pareçam legítimos. Alguns sinais de um ataque de phishing incluem:

  • Endereços de correio eletrónico que alteram ligeiramente o endereço de uma marca de confiança para que pareça semelhante.
  • Apresentações estranhas como um “Caro Senhor ou Senhora” do seu banco.
  • Má ortografia e gramática, o que indica que a comunicação não provém de uma organização profissional.
  • Design visual deficiente, como logótipos esticados, cores desencontradas e fotografias de arquivo baratas.
  • Apelos urgentes à ação ou ameaças que o pressionem a reclamar uma recompensa ou a pagar uma multa imediatamente seguidos de uma ligação para o fazer.
  • Anexos inesperados, como uma “fatura de envio” ou “contas”, que os hackers utilizam para esconder malware e ransomware.

Mais uma vez, pode precisar de um olhar atento para o detetar. Quando receber mensagens de correio eletrónico como estas, pare um momento para as analisar e não clique em nenhuma ligação. Outra forma de lutar contra os criminosos que praticam phishing é denunciá-los. Consulte o Gabinete de cibercrime, que partilha denúncias de phishing e outras fraudes com as autoridades policiais. Juntamente com outros relatórios, as suas informações podem ajudar uma investigação e ajudar a acusar um cibercriminoso ou uma rede organizada.

4. Defenda-se com a autenticação multifator.

É provável que já esteja a utilizar a autenticação multifator (MFA) em algumas das suas contas, como no seu banco ou instituições financeiras. A MFA fornece uma camada adicional de proteção que torna muito mais difícil a um hacker ou um malfeitor comprometer as suas contas, mesmo que saiba a sua palavra-passe e nome de utilizador. É comum, hoje em dia, que uma conta online lhe peça para utilizar um e-mail ou uma mensagem de texto para o seu smartphone como parte do processo de início de sessão. Se tiver a MFA como opção para iniciar sessão nas suas contas, considere vivamente a possibilidade de a utilizar.

5. Limpe os seus dados pessoais online, se possível.

Como é que o vigarista obteve o seu endereço de e-mail ou número de telefone? É muito provável que o tenham comprado a um corretor de dados. Os corretores de dados constituem um negócio de vários milhares de milhões de dólares em todo o mundo. Recolhem e classificam dados ligados a milhões de pessoas em todo o mundo – e depois vendem-nos. Para qualquer pessoa. Pode tratar-se de anunciantes, investigadores privados e potenciais empregadores. Esta lista inclui também hackers e vigaristas. Com os seus dados, eles podem procurar as suas informações de contacto para lhe enviar e-mails, chamadas e mensagens de texto com spam. Pior ainda, podem utilizar essa informação para o ajudar a cometer roubo de identidade.

Ainda bem que pode retirar as suas informações desses sítios. E um serviço como a nossa limpeza de dados pessoais (disponível em alguns mercados) pode fazer o trabalho pesado por si. Analisa alguns dos sites de corretagem de dados mais arriscados e mostra-lhe quais estão a vender as suas informações pessoais. Também fornece orientações sobre como pode remover os seus dados desses sítios. Com produtos seleccionados, podemos até gerir a remoção por si.

É verdade, pode tornar a Internet um local mais seguro.

Quanto tempo passa na Internet por dia? Entre o trabalho, a casa e o telemóvel que traz consigo, são cerca de 6,5 horas por dia, em média. Passa muito tempo na Internet. E um tempo importante também para fazer compras, ir ao banco e tratar da sua saúde online. Se dedicar alguns momentos deste mês para reforçar a sua segurança, esse tempo será mais seguro. Apesar do que possa ter pensado, tem mais controlo sobre isso do que imagina.

FacebookLinkedInTwitterEmailCopy Link

Mantenha-se atualizado

Siga-nos para se manter atualizado sobre a McAfee e ficar por dentro das mais recentes ameaças à segurança móvel e do consumidor.

FacebookTwitterInstagramLinkedINYouTubeRSS

More from Segurança da Internet

Back to top