Sete sugestões para proteger os seus dispositivos IoT nos Cuidados de saúde

By on Oct 30, 2020

Sete sugestões para proteger os seus dispositivos IoT nos cuidados de saúde: mês de sensibilização da cibersegurança

Monitorizadores de fitness usados no pulso, medidores de glicose que testam o açúcar no sangue sem picar, e escovas de dentes ligadas que lhe permitem saber se deixou algo por lavar: bem-vindo aos cuidados de saúde ligados. É um novo domínio dos cuidados de saúde com grandes e pequenos avanços. Alguns encontrará em sua casa, outros no consultório do seu médico, no entanto, todos estão ligados. O que significa que todos têm de ser protegidos. Afinal de contas, não estão a monitorizar dados antigos. Estão a monitorizar os dados da nossa saúde, um dos nossos bens mais preciosos.

O que são os cuidados de saúde ligados?

Os cuidados de saúde ligados, também conhecidos como medicina ligada, é um tópico abrangente . Do lado do consumidor, cobre tudo, desde relógios inteligentes que monitorizam dados de saúde até medidores de tensão arterial sem fios que podem ser usados em casa. Do lado do médico, é responsável por tecnologias que vão desde registos eletrónicos de pacientes, dispositivos de diagnóstico ligados à rede, monitorização remota de pacientes sob a forma de dispositivos utilizáveis, aplicações para terapia, e até pequenas câmaras que podem ser engolidas sob a forma de comprimidos para obter uma visão do sistema digestivo de um paciente.

Adicionalmente, também inclui visitas de telemedicina, onde pode ter um problema médico diagnosticado e tratado remotamente através do seu smartphone ou computador através de videoconferência ou de um portal de um prestador de cuidados de saúde—dos quais pode saber mais num dos meus blogues deste ano. Em suma, estão a ocorrer grandes mudanças digitais nos cuidados de saúde, uma transformação que está a tomar rapidamente forma num mercado global que se espera atingir 534,3 mil milhões de USD em 2025.

Segurança e privacidade nos cuidados de saúde ligados

Os avanços nos cuidados de saúde ligados têm sido mais lentos em comparação com outros aspetos das nossas vidas, como os dispositivos de consumo, como telemóveis e tablets. A segurança é a principal razão. Para além de um dispositivo de cuidados de saúde ter de passar por um rigoroso processo de conceção e aprovação para garantir a sua segurança, solidez e eficácia, também deve ser sujeito a graus de regulamentação rigorosos semelhantes quando se trata da privacidade dos dados médicos. Por exemplo, nos EUA, temos o Health Insurance Portability and Accountability Act de 1996 (HIPAA), que define os padrões de privacidade e segurança para certas informações de saúde.

Em conjunto, requerem tempo de desenvolvimento adicional para qualquer dispositivo ou solução médica ligada, para além do tempo necessário para desenvolver um dispositivo com a eficácia adequada. Os fabricantes de dispositivos de cuidados de saúde não podem ser tão rápidos quanto um fabricante de smartphones. E com razão.

Sete sugestões para proteger os seus dispositivos de cuidados de saúde ligados

No entanto, neste blogue, vamos concentrar-nos no lado doméstico e pessoal da equação, com dispositivos como monitorizadores de fitness, medidores de glicose, relógios inteligentes, e dispositivos utilizáveis em geral, dispositivos de cuidados de saúde ligados que cada vez mais muitos de nós compramos por conta própria. Para ser claro, embora estes dispositivos nem sempre possam ser categorizados como dispositivos de cuidados de saúde no sentido mais estrito (e regulamentar) da palavra, estes estão a recolher os seus dados de saúde, que deve sem dúvida proteger. Apresentamos alguns passos simples que pode tomar:

1) Primeiro, proteja o seu telemóvel

Muitos dispositivos médicos IoT usam um smartphone como uma interface e como um meio de recolher, armazenar e partilhar dados de saúde. Independentemente de utilizar Android ou iOS, instale software de segurança no seu dispositivo para que possa proteger tudo a que acede e controla. Para além disso, instalá-lo irá protegê-lo a si e também ao seu telemóvel em geral.

2) Defina palavras-passe fortes e exclusivas para os seus dispositivos de medicina IoT

Descobriu-se que alguns dispositivos IoT são vulneráveis a ataques porque vêm com um nome de utilizador e palavra-passe predefinidos, que são muitas vezes publicados na Internet. Quando compra algum dispositivo IoT, defina uma palavra-passe nova com um método forte de criação de palavras-passe.  E manter essas palavras-passe seguras. Em vez de mantê-las num bloco de notas ou em notas autocolantes, considere usar um gestor de palavras-passe.

3) Use a autenticação de dois fatores

Provavelmente já se deparou com a autenticação de dois fatores enquanto efetua transações financeiras, faz compras ou inicia sessão numa conta. A utilização de uma combinação do seu nome de utilizador, palavra-passe, e um código de segurança enviado para outro dispositivo que possui (normalmente um telemóvel) torna mais difícil que os hackers acedam ao seu dispositivo. Se o seu dispositivo IoT suportar a autenticação de dois fatores, use-a para obter segurança adicional.

4)Atualize os seus dispositivos regularmente

Esta ação é vital. Certifique-se de que tem as atualizações mais recentes para obter a funcionalidade mais recente do seu dispositivo. É igualmente importante porque as atualizações muitas vezes contêm atualizações de segurança. Se for possível definir o seu dispositivo para receber atualizações automáticas, faça-o.

5) Proteger o seu router da Internet

O seu dispositivo médico IoT irá usar invariavelmente a sua rede Wi-Fi de casa para ligar à Internet, tal como os seus outros dispositivos. Todos os dados que são transmitidos já são de uso pessoal e privado, e isso vale duplamente para quaisquer dados de saúde que sejam transmitidos pelo mesmo. Certifique-se de que usa uma palavra-passe forte e exclusiva. Altere também o nome do seu router para que este não revele o seu endereço ou identidade. Outro dos passos é verificar se o seu router está a usar um método de encriptação, como o WPA2, que manterá o seu sinal seguro. Também poderá considerar investir num router da Internet avançado que possua proteção incorporada, que pode proteger e monitorizar qualquer dispositivo que se ligue à sua rede.

6) Use uma VPN e uma solução de segurança abrangente

De forma semelhante ao apresentado acima, outra forma de proteger os dados de saúde que envia pela Internet é usar uma rede privada virtual, ou VPN. Uma VPN usa uma ligação encriptada para enviar e receber dados, o que a protege de olhares curiosos. Um hacker que tente espiar a sua sessão verá efetivamente uma amálgama de dados inúteis, o que ajuda a manter os seus dados de saúde seguros.

7) Ao comprar, faça a sua pesquisa

Um estudo recente descobriu que 25% dos proprietários de imóveis com Internet de banda larga preveem comprar um novo dispositivo de consumidor de saúde ou de fitness durante o próximo ano. Certifique-se de que o seu é seguro. Leia as avaliações e comentários sobre os dispositivos em que está interessado, juntamente com os artigos de imprensa sobre os respetivos fabricantes. Veja qual é o respetivo histórico em matéria de segurança, como por exemplo, se expuseram dados ou deixaram os seus utilizadores suscetíveis a ataques.

Tenha cuidado com a sua saúde e com os respetivos dados.

Resumindo, quando falamos de cuidados de saúde ligados, estamos em última análise a falar de um dos seus bens mais pessoais: os seus dados de saúde. Isto é o que está a ser recolhido. E isto é o que está a ser transmitido pela sua rede doméstica. Tome estas medidas adicionais para proteger os dados dos seus dispositivos, e a si próprio, à medida que desfruta das vantagens dos cuidados de saúde ligados que traz para a sua vida e para a sua casa.

Mantenha-se atualizado 

Para se manter atualizado em todos os assuntos McAfee e para obter mais recursos sobre como manter-se seguro a partir de casa, siga, @McAfee_Home no Twitter, ouça o nosso podcastHackable?, e ponha ‘Gosto’ na nossa página do Facebook.

About the Author

Judith Bitterli

Judith Bitterli currently serves as Senior Vice President of Consumer Marketing at McAfee. She is a passionate advocate for online security, family safety and safeguarding our digital experiences. She has been in the security space for eight years and technology for over thirty years. She brings to her work a fundamental belief that online security ...

Read more posts from Judith Bitterli

Subscribe to McAfee Securing Tomorrow Blogs