7 dicas sobre como se manter seguro na Internet

Está na altura de ter “A Conversa” sobre a Internet: 7 temas de conversa para permanecer muito mais seguro online

Está na altura de ter “A Conversa”. Ou seja, a conversa da Internet.

O que é a conversa da Internet? É uma conversa franca sobre o nível de segurança que assumimos quando estamos online, em comparação com o nível de segurança que pensamos ter. Com certeza, pode haver um fosso considerável entre os dois, e o nosso Relatório sobre a Mentalidade de Segurança do Consumidor de 2021 mostra-nos a sua importância:

  • 2 em cada 3 pessoas nos EUA (66%) dizem estar preocupadas com os riscos cibernéticos de hoje – uma estatística impressionante, apesar de terem ocorrido quase 6500 falhas de segurança e 1,1 mil milhões de registos expostos entre 2010 e 2019 só nos EUA
  • 70% dos inquiridos disseram ter comprado pelo menos um dispositivo ligado em 2020, enquanto 1 em cada 3 comprou três dispositivos ligados. No entanto,
  • Apenas 50% compraram software de segurança, e 1 em cada 4 desses 50% disseram ter verificado se o respetivo software de segurança estava atualizado.
  • Mais de metade dos inquiridos dos EUA (51%) disseram que nunca pensaram no valor dos dados que armazenam online. No entanto, cerca de 9 em cada 10 consumidores dizem que seriam proativos na proteção desses dados se estes pudessem ser comercializados como moeda, o que de facto acontece quando os hackers os vendem no mercado negro.
  • Cerca de 1 em cada 3 (29%) dos inquiridos admitiram que não estão confiantes na respetiva capacidade em impedir um ciberataque.

Não sei o que pensa, mas fiquei impressionado com o facto de apenas 50% das pessoas comprarem software de segurança quando compram um novo dispositivo. Se é assim, então está mesmo na altura de ter a conversa.

Quer tenhamos a conversa com as nossas crianças, os nossos pais, ou mesmo connosco próprios, esta é uma oportunidade para nos certificarmos de que estamos a proteger o que importa quando estamos online – as nossas famílias, a nossa privacidade, as nossas finanças, os nossos dados, e, claro, os nossos itens também – como os nossos computadores, tablets, smartphones, e outros dispositivos ligados também.

Segurança da Internet: o que há para conversar?

Muito. Agora é uma boa altura para dar alguns primeiros passos importantes, fazendo algumas perguntas que podem torná-lo mais seguro online.

1) Está a usar soluções de segurança holísticas?

Tendo em conta a estatística sobre software de segurança acima, comecemos desde a estaca zero. As soluções de segurança holísticas fornecem-lhe uma forte proteção antivírus e muito mais. Pode ajudá-lo a evitar transferências e ligações maliciosas, intercetar mensagens de correio eletrónico de phishing antes que estes cheguem à sua pasta A receber, e proteger também a sua privacidade, entre outros. Além disso, também pode proteger os seus smartphones e tablets, quer tenha dispositivos  Android ou iOS . Não se esqueça de proteger também esses dispositivos, pois é provável que faça cerca de metade da sua navegação nos mesmos.

2) As suas palavras-passe são robustas e exclusivas?

Se estiver a utilizar palavras-passe simples ou a repetir a utilização da mesma palavra-passe com pouca ou nenhuma variação, está na altura de mudar de atitude. Palavras-passe fortes e exclusivas protegem-no nesta era de falhas de segurança de dados e hackers, em que as palavras-passe são roubadas e depois vendidas no mercado negro. Se a criação de palavras-passe robustas e exclusivas para cada uma das suas contas parece dar muito trabalho, considere a utilização de um gestor de palavras-passe para criar e guardar em segurança as palavras-passe por si.

3) Está protegido por uma firewall e uma VPN?

Uma firewall funciona como uma barreira digital que bloqueia o acesso não autorizado aos seus computadores e dispositivos, algo obrigatório nos dias de hoje (e já desde há algum tempo). É muitas vezes incluída com software de segurança abrangente (mais uma razão para ter software de segurança abrangente porque é muito superior a “apenas” um antivírus).

Uma rede privada virtual (VPN) é um software que cria uma ligação segura através da Internet, para que possa ligar-se em qualquer sítio. Poderá querer utilizá-la em casa, quando procura uma proteção adicional enquanto estiver a fazer transações financeiras ou a tratar das finanças. E de certeza vai querer utilizá-la quando aceder a redes Wi-Fi públicas em locais como aeroportos, hotéis e cafés, porque a chamada “Wi-Fi gratuita” não é muitas vezes segura, facilitando o acesso dos hackers ao seu dispositivo ou às informações que está a enviar e a receber.

4) Está a partilhar demasiado nas redes sociais?

Pode ser surpreendente, mas os hackers podem reunir uma grande quantidade de informação sobre si a partir das redes sociais e utilizá-la como um meio para todo o tipo de ataques. Isso inclui roubo de identidade, ataques de engenharia social onde se fazem passar por si ou por alguém que conhece, e até o roubo de palavra-passe Evite partilhar demasiado nas redes sociais ao ocultar detalhes como moradas, nomes de escolas e outras informações que o possam identificar. Além disso, defina os seus perfis para privado para que apenas amigos e familiares os possam ver.

5) Consegue distinguir entre Web sites seguros e inseguros?

Quando estiver a fazer compras, transações financeiras, ou a transmitir qualquer tipo de informação sensível, certifique-se de que o endereço do Web site começa com “https” em vez de “http”. O “s” significa seguro, e muitos browsers representarão essa maior segurança com um pequeno ícone de cadeado para indicar o uso de https, que usa encriptação para codificar e ajudar a proteger os dados de olhares curiosos.

Outra forma de protecção contra sites maliciosos é o McAfee Web Advisor, que o pode ajudar a evitar adware, spyware, vírus, esquemas de phishing e transferências duvidosas.

6) Atualiza as suas aplicações e o seu software?

As atualizações fazem mais do que manter as suas aplicações e software atualizados com as últimas funcionalidades, muitas vezes incluem também melhorias de segurança. Quando e sempre que possível, configure os seus dispositivos e software para serem atualizados automaticamente. E quando solicitado para atualizar, escolha sim. Os poucos minutos que demora a ler isto podem evitar grandes dores de cabeça a longo prazo, caso a sua aplicação ou software deixe aberta uma porta para um ataque.

7) Quando foi a última vez que fez uma cópia de segurança dos seus dados?

Essa é a grande questão. Onde é que estaria sem as suas fotos, ficheiros, registos fiscais, finanças, projetos e muitos outros? A resposta é provavelmente “num lugar muito mau”. Perdê-los pode afetá-lo tanto pessoalmente como financeiramente. Crie uma cópia de segurança dos seus dados Sugiro que o faça com uma combinação de um serviço de armazenamento na nuvem fidedigno e um dispositivo físico local, como um disco rígido externo que guarda num local seguro.

Outra opção para os dados e ficheiros particularmente sensíveis é a utilização de armazenamento encriptado. Por exemplo, a nossa funcionalidade de Bloqueio de ficheiros permite-lhe criar unidades encriptadas protegidas por palavra-passe no seu PC que só aparecem quando as desbloqueia, é perfeito para armazenar ficheiros sensíveis como declarações de impostos e documentos financeiros.

Ter “A Conversa” é o primeiro passo para uma vida online muito mais segura

Por vezes, fazer a pergunta certa pode pôr tudo em movimento, e espero que seja isso que esta pequena conversa faça, ajudando-o a identificar e colmatar quaisquer lacunas que encontre na sua segurança. Não hesite e dedique algum tempo para ter “A Conversa”. Você e qualquer pessoa com quem a tenha, ficará mais seguro por isso.

Mantenha-se atualizado

Para se manter atualizado em todos os assuntos McAfee e para obter mais recursos sobre como manter-se seguro em casa, siga @McAfee_Home no Twitter, ouça o nosso podcast Hackable?, e ponha “Gosto” na nossa página do Facebook.

FacebookLinkedInTwitterEmailCopy Link

Mantenha-se atualizado

“Siga-nos para se manter atualizado sobre a McAfee e ficar por dentro das mais recentes ameaças à segurança móvel e do consumidor.”

FacebookTwitterInstagramLinkedINYouTubeRSS

Mais De

Back to top