Como excluir suas informações pessoais da Internet

Embora não seja possível excluir totalmente suas informações pessoais da Internet, você pode tomar medidas firmes para removê-las de locais de risco. Há pessoas que poderiam aproveitar seus dados com fins lucrativos ou más intenções. Por que é tão importante assumir o controle de nossas informações pessoais?

Faz tempo que elas têm valor de mercado. Como grande parte dos negócios, das finanças, da saúde e da vida em geral depende disso, suas informações pessoais possuem um cifrão. Muitas pessoas querem ter acesso a elas.

As informações pessoais alimentam campanhas de publicidade e marketing direcionadas, assim como ajudam os reguladores a definir as taxas de seguro e os prestadores de serviços de saúde a fazer projeções sobre nosso bem-estar. As empresas as desejam para verificações de antecedentes profissionais. As autoridades policiais as utilizam quando investigam pessoas sob suspeita. Os bancos e as empresas de cartão de crédito baseiam suas aprovações nisso. Os sites e aplicativos coletam esses dados para seus próprios fins, que às vezes são compartilhados ou vendidos a terceiros. E, é claro, hackers, golpistas e ladrões também querem isso. Para roubar sua identidade, drenar suas contas e realizar outros ataques contra você.

Sem dúvida, suas informações pessoais têm valor. Um valor muito alto. E isso é um forte argumento para fazer o possível para controlar o que você compartilha e onde compartilha da melhor forma possível.

Com tantas coisas que dependem de suas informações pessoais, é bom saber que você pode realmente assumir o controle das mesmas. Mostraremos como é muito mais fácil fazer isso hoje em dia.

Conheça sua pegada digital

Assumir o controle de suas informações pessoais começa com uma análise de sua pegada digital. Todos temos uma. E, assim como a pegada digital de outras pessoas, a sua é preenchida com informações sobre você – informações pessoais armazenadas online.

Para começar, sua pegada digital inclui coisas como publicações em fóruns, perfis de rede social, suas publicações nesse meio e as publicações de outras pessoas que o mencionam. Isso inclui outras fontes de informações, como fotos suas em um boletim informativo online, seu nome listado na classificação de sua liga de futebol mista e uma biografia sua na página “Sobre nós” de sua empresa. As avaliações online também são fontes potenciais.

Em suma, essa parte da sua pegada digital aumenta de duas maneiras: à medida que você diz mais coisas e à medida que mais coisas são ditas sobre você. Sua pegada aumenta ainda mais com a adição de registros públicos. Isso pode incluir o valor que você pagou pela sua casa, quem mora com você, sua idade, seus filhos, o histórico da sua CNH, educação, ocupação e renda estimada. Tudo depende de onde você mora e de quais regulamentos de dados estão em vigor no local.

Algumas regiões têm regras de privacidade mais rígidas do que outras quando se trata de registros públicos. Por exemplo, nos EUA, Califórnia, Virgínia, Connecticut, Colorado, Utah, Iowa, Indiana, Tennessee, Oregon, Montana, Texas e Delaware têm leis rigorosas de privacidade de dados em vigor. A União Europeia tem seu conhecido GDPR, o Regulamento Geral de Proteção de Dados, em vigor.

Além disso, há todo tipo de informação sobre você coletada e vendida por corretores de dados online. Os corretores de dados extraem centenas de dados de fontes públicas, sem mencionar as fontes privadas, como cartões de clubes de supermercados que rastreiam seu histórico de compras.

Outras fontes privadas incluem informações de desenvolvedores de aplicativos e sites com políticas de privacidade menos restritivas quando se trata de compartilhar e vender informações. Esses corretores de dados vendem informações pessoais a qualquer pessoa, incluindo hackers, golpistas e spammers. Por fim, uma parte considerável de sua pegada vem de informações armazenadas na deep web. Isso constitui os 95% da Internet que não podem ser pesquisados.

No entanto, é provável que você visite esses sites diariamente. Sempre que você passa por um acesso pago (paywall) ou usa uma senha para acessar o conteúdo da Internet, você está entrando na deep web. Alguns exemplos incluem fazer login na sua conta bancária, acessar registros médicos por meio do seu provedor de serviços de saúde ou usar sites corporativos. Até mesmo a transmissão de um programa pode significar uma visita à deep web. Nenhum desses conteúdos é pesquisável. O que você tem lá, além do seu histórico de visualização da Netflix? Pense em todas as informações que formam a base de sua pontuação de crédito, seu histórico médico, suas informações financeiras e todas as informações que os sites e anunciantes capturam sobre você quando você simplesmente está online. Isso também é deep web.

Uma subdivisão da deep web é a dark web. Ela também não pode ser pesquisada e requer um navegador especial para ser acessada. Alguns dos sites e armazenamentos de dados encontrados lá são totalmente legítimos, outros são questionáveis e vários são totalmente ilegais. Algumas de suas informações também podem ter parado lá. E, sim, você encontrará mercados negros aqui, onde agentes mal-intencionados colocam informações pessoais à venda. De fato, todos os usuários online têm uma pegada digital. E algumas pegadas são maiores que outras.

Assumir o controle de suas informações pessoais é importante, talvez mais do que você imagina

Então, qual é o problema? É assim que a Internet funciona, certo? Essa é uma pergunta coerente. Parte da resposta se resume à importância que uma pessoa dá à sua privacidade.

No entanto, de forma mais objetiva, manter um perfil mais discreto online oferece melhor proteção contra o crime cibernético. Considere a pesquisa publicada pela revista científica Nature, em 2019. Veja um trecho dos autores: Usando nosso modelo, descobrimos que 99,98% dos americanos seriam corretamente identificados em qualquer conjunto de dados usando 15 atributos demográficos. Nossos resultados sugerem que mesmo conjuntos de dados anonimizados com amostras pesadas dificilmente satisfazem os padrões modernos de anonimização estabelecidos pelo GDPR (Regulamento Geral sobre a Proteção de Dados da Europa) e desafiam seriamente a adequação técnica e legal do modelo de liberação e esquecimento da desidentificação.

Em termos práticos, imagine que um hacker ou bisbilhoteiro coloque as mãos em um grande conjunto de dados públicos ou privados. Por exemplo, dados médicos sobre determinadas condições de saúde. Mesmo que esses dados tenham sido “limpos” para tornar as pessoas anônimas, o hacker ou bisbilhoteiro só precisa de 15 informações para identificá-lo nessa mistura. A partir daí, eles podem identificar quaisquer condições de saúde relacionadas a você.

Em uma época em que todos os tipos de organizações coletam todos os tipos de dados, o impacto dessa descoberta de pesquisa é claro. As violações de dados acontecem, e uma pessoa determinada pode identificá-lo em um lote de dados violados com relativa facilidade. Eles têm várias ferramentas prontamente disponíveis que podem juntar essas outras 15 informações para identificá-lo. Isso fortalece ainda mais o argumento para que você assuma o controle de suas informações pessoais.

A exclusão de suas informações na Internet tem seus benefícios

Diminuir a sua chamada pegada digital ajuda a melhorar a vida cotidiana de várias maneiras. Você pode:

Reduzir o número de mensagens de texto, e-mails e ligações suspeitas que você recebe. Se um hacker, golpista ou remetente de spam não conseguir rastrear suas informações de contato, ele não poderá falar com você em seus computadores e telefones. A remoção de informações de sites de corretores de dados, de contas antigas que você não usa mais e até mesmo de redes sociais pode dificultar o contato com você.

Reduzir o risco de crimes de identidade, como roubo, fraude e assédio. Os criminosos usam as informações das pessoas contra elas. Com isso, eles fazem empréstimos em nome de outras pessoas, registram pedidos de seguro falsos e, em casos mais extremos, se fazem passar por outras pessoas para fins profissionais ou criminais. Quando você tem menos informações disponíveis online, eles têm menos informações para trabalhar. Isso torna seus ataques mais difíceis de serem realizados. Tão difícil que eles podem se voltar para outro alvo mais fácil, que tem muito mais informações online.

Manter os bisbilhoteiros fora de seus negócios quando você estiver cuidando de coisas online. O rastreamento e o monitoramento acontecem de forma natural quando você está online. Sites e empresas usam esse recurso para fins de desempenho e marketing. Hackers e golpistas fazem isso simplesmente para roubar. Tomar medidas para mascarar e ocultar completamente suas atividades online beneficia sua privacidade e sua segurança.

Assumir o controle do que as pessoas sabem e não sabem sobre você. De forma mais ampla, o aumento da privacidade lhe dá o poder de compartilhar suas informações. Não a outra pessoa. O fato é que muitas empresas compartilham informações com outras empresas. E alguns desses terceiros podem ter medidas de privacidade e segurança de dados mais flexíveis. Além disso, você provavelmente não tem ideia de quem são esses terceiros. O aumento da privacidade o ajuda a ter muito mais controle sobre o destino de suas informações.

Cinco maneiras para excluir suas informações da Internet

Veja o que pode ajudá-lo:

1. Excluir aplicativos antigos. E ser exigente quanto às permissões em seus telefones. Menos aplicativos significam menos alternativas de coleta de dados. Se você tiver aplicativos antigos e não utilizados, considere excluí-los, juntamente com as contas e os dados vinculados a eles.

2. Excluir contas antigas. Muitos usuários da Internet podem ter mais de 350 contas online, muitas das quais talvez não saibam que ainda estão ativas. A limpeza de contas online da McAfee pode ajudá-lo a excluí-los. Ele faz varreduras mensais para localizar suas contas online, mostrando o nível de risco delas. A partir daí, você pode decidir quais excluir, protegendo suas informações pessoais contra violações de dados e, consequentemente, sua privacidade em geral.

3. Configurar suas contas nas redes sociais como privadas. A nova privacidade nas redes sociais da McAfee  (disponível em determinados mercados) ajuda a protegê-lo nas redes sociais, personalizando a privacidade de acordo com as suas preferências. Ela faz o trabalho pesado, ajustando mais de 100 configurações de privacidade em todas as suas contas nas redes sociaisl com apenas alguns cliques. Isso garante que suas informações pessoais fiquem visíveis apenas para as pessoas com quem você deseja compartilhá-las. Isso também o mantém fora dos mecanismos de pesquisa, onde o público pode vê-lo.

4. Remova suas informações dos corretores de dados que as vendem. A limpeza de dados pessoais da McAfee (somente disponível nos EUA e Canadá) ajuda-o a remover suas informações pessoais de muitos dos sites de corretores de dados mais arriscados que existem. A execução regular desse recurso pode manter seu nome e suas informações fora desses sites, mesmo quando os corretores de dados coletam e publicam novas informações. Dependendo do seu plano, com esse recurso você pode enviar solicitações para remover seus dados automaticamente.

5. Tome medidas preventivas. Veja alguns passos para ajudá-lo a manter suas informações fora da Internet em primeiro lugar. Uma VPN segura ajuda a tornar seu tempo online mais privado e mais seguro, ocultando informações como seu endereço IP e outros dados de identificação. Esse recurso também impede que hackers e bisbilhoteiros monitorem sua atividade quando você faz transações bancárias, compras e acessa outras contas. Além disso, confira nosso artigo que aborda a privacidade em seu telefone. Como os telefones oferecem muitas maneiras de coletar informações pessoais, tornar seu telefone mais privado ajuda a proteger sua privacidade. 

FacebookLinkedInTwitterEmailCopy Link

Mantenha-se atualizado

Siga-nos para se manter atualizado sobre a McAfee e ficar por dentro das mais recentes ameaças à segurança móvel e do consumidor.

FacebookTwitterInstagramLinkedINYouTubeRSS

Mais de Privacidade e Proteção de identidade

Back to top